quarta-feira, setembro 07, 2005

O Nobre Anti-Clerical

A 18 de Novembro de 1914, Aleixo? De Santa Eulália, um adesivo, escreve a Raimundo Meira, numa carta com o Timbre do Paço da Glória de Ponte de Lima, uma carta a queixar-se dos ataques pessoais que um Padre lhe fazia.

Mui prezado Raimundo
Muito me obsequiaras se pedisses ao Germano, Dr. Advogado nos Arcos que se interesse por mim e não por um malvado Padre – nojento – que por insi-nuações procura, quer fora da Igreja – quer nas práticas da Igreja – falar con-tra mim, mantendo-se secretário da Junta da Madalena, na minha frequesia a fabricar falsidades. Tudo contra mim e tudo devido ao facto de não lhe ter emprestado dinheiro como ele me pediu numa onsolvente carta.
Tu faz ver ao Germano que ele terá mais seriedade e caracter na minha pessoa que num bandalho d’um padreca – que se trata por tu , como ele e à gente de sua confiança.
Desculpe meu caro, mas quem na escolha e depois tem sido dedicado, pode às vezes importunar um dedicado amigo como tu.

Aleixo??? de Santa Eulália

Etiquetas:

3 Comments:

Blogger FSantos said...

Sobre o anticlericalismo da I República:
http://santosdacasa.weblog.com.pt/arquivo/2005/05/o_28_de_maio_79_1.html

5:22 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Paço da Glória é em Arcos de Valdevez e não Ponte de Lima como refere...

2:55 da tarde  
Blogger Luís Bonifácio said...

O Timbre da Carta diz claramente "Paço da Glória - Ponte de Lima"

12:46 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home