sexta-feira, novembro 12, 2004

Biografia - Raimundo Meira

Raimundo Enes Meira (1866 – 1946)

Nasceu em Afife em 25 de Maio de 1866, filho de Joaquim Alves Meira e Custódia Enes Ramos Bezerra. Alistou-se como voluntário no Regimento de Infantaria 3 em 1886. Foi 1º Sargento Graduado Cadete no regimento de artilharia 2. Concluiu o curso de artilharia da escola do exército em 1893, sendo promovido a 2º Tenente no mesmo ano serviu nos Regimentos de Artilharia 3 e 5. Promovido a 1º Tenente em 1895. Foi destacado, em missão de serviço, para o Estado da Índia em Maio de 1896 na brigada de artilharia de montanha, num corpo expedicionário comandado por S.A.R o Infante D. Afonso e onde faziam parte Norton de Matos e Ernesto Sá Cardoso. Retornou à metrópole em Novembro de 1897 para artilharia 3.
Promovido a Capitão em 1908 e no mesmo ano contrai matrimónio com Laura Pinto de Lemos Pereira.
Em 1911 é destacado para o grupo de artilharia de montanha que é colocado na Serra do Gerez por motivos da 1ª incursão de Paiva Couceiro.
Nomeado em Junho de 1913, Governador Civil de Viana do Castelo, é destacado durante o mês de Julho para o Governador Civil de Coimbra e volta em Agosto a Viana, e exerce o cargo até Março de 1914
Eleito deputado por Viana em 1915 pelo Partido Democrático.
Promovido a Major em 1916, é colocado no 1º Batalhão de Obuses de Campanha, embarca para França em 1917, integrado no CEP. Em França passa pelos regimentos de artilharia 6 e 11. Promovido a Tenente-Coronel em Fevereiro de 1917, é transferido para o Estado-Maior de Artilharia de Campanha.
É desmobilizado em Outubro de 1918. Regressado a Portugal é nomeado 2º comandante de artilharia 6.
É eleito Senador por Viana, nas listas do Partido Democrático em 1919, sendo reeleito em 1923 e 1925.
Promovido a Coronel em 1922, assume o comando de artilharia 6 (Serra do Pilar).
Nomeado em 1924 Governador-Geral de Timor, reorganiza as finanças da colónia, conseguindo equilibrar o orçamento. Cria o imposto Predial rústico e urbano, o imposto Industrial e cria em Dili a primeira feira agricola-industrial naquela colónia.
Exonerado do cargo em Junho de 1926, é passado à reserva em Fevereiro de 1927.
Faleceu em Afife em 30 de Junho de 1946.
Medalha de Prata Rainha D. Amélia
Comendador da ordem de Cristo
Grande-oficial da Ordem de Aviz
Medalha de ouro de comportamento exemplar
Fontes:
“Ministros e Parlamentares da 1ª República” – Guinote et al - Assembleia da república
Grande Enciclopédia Portuguesa e Brasileira – Vol. XVI
Documentação do Autor

3 Comments:

Blogger musqueteira said...

Nascido em Afife e protegido por S.A.R.; El Rey D.Afonso!...
Dá gosto ver a nossa boa gente, relembrada aqui!
Parabéns, meu caro. Conhece o nosso passado.
Desejo-lhe um bom futuro para a construção de um melhor Portugal...
Afonso, é um belo nome.
Hoje, Afonso é o nome a herdeiro a um trono.

6:48 da tarde  
Blogger Luís Bonifácio said...

Protegido??????

12:20 da tarde  
Anonymous rui manuel bandeira said...

Olá Bonifácio,tens alguma coisa sobre os caminhos de santiago?
Para além das setas que indicam o trajecto, nada mais há de relevante em alguns sites que tenho visto. As Alminhas por onde passam os caminhos,os cruzeiros????

12:26 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home