domingo, agosto 28, 2005

A Casa de Belinho

A casa de Belinho a que Correia d’Oliveira se refere, situa-se em Viana do Castelo. Esta Casa, na realidade um palácio do Século XVIII, pertencia À família da mulher de António Correia d’Oliveira, originária de Belinho – Esposende e tinha sido cedido nos meados do Século XIX, para ser instalado, provisoriamente, o Liceu de Viana.
Com a construção de um novo liceu, a casa de Belinho ficou devoluta. Quando Raimundo Meira ocupou o cargo de Governador Civil de Viana, propôs a sua compra à família Correia d’Oliveira, para aí ser instalado o Governo-Civil.
O empréstimo a que o Poeta se refere é o empréstimo pedido pelo Governo-Civil para a compra do edifício. Correia d’Oliveira necessitava o dinheiro para poder criar o Colégio de Belinho, na Quinta de sua Mulher em Belinho.
Esta questão será ainda motivo de algumas cartas posteriores, mas a questão chegou a bom porto, o palácio de Belinho foi comprado, ainda hoje é a sede do Governo-Civil de Viana do Castelo e António Correia d’Oliveira fundou o Colégio de Belinho.

Etiquetas:

5 Comments:

Anonymous Maria Corrêa d'Oliveira said...

Não conheço a casa da fotografia, não sabia que havia duas casas de Belinho... =S A Casa de Belinho que conheço é uma quinta linda, em S. Paio de Antas, Esposende. Não há casa como aquela. Temos agora, numa parte da quinta, um espaço para casamentos. Quem estiver interessado ou só para dar uma vista de olhos o site é http://www.casabelinho.com

10:13 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Enorme confusão. A Casa de Belinho não é a da fotografia, nem é em Viana do Castelo, mas sim em São Paio de Antas, concelho de Esposende, 14 Kms a Sul de Viana do Castelo, junto à Foz do Neiva. Aí viveu o poeta António Corrêa d'Oliveira, meu Avô, desde o seu casamento, aí morreu em 1960 e aí está sepultado. A casa da fotografia é o Palácio dos Cunhas Sottomayor, na Rua da Bandeira, propriedade de minha Avó Maria Adelaide da Cunha Sottomayor Corrêa d'Oliveira. Esta veio a ser por ela vendida para fazer face à súbita exigência de pagamento de um empréstimo contraído por seu Pai Gonçalo da Cunha Sottomayor, sendo actualmente o Governo Civil de Viana do Castelo. A pedra de armas original foi retirada e substituída.
Rui Corrêa d'Oliveira
ruicoliveira@gmail.com

3:18 da tarde  
Anonymous CADETE said...

OUVI FALAR DESTA FAMILIA E SUA ENORME QUINTA QUE HA MAIS DE 30 OU 40 ANOS ATRAS ERA UMA MARAVILHA.ALGUEM QUE DESDE MUITO NOVO A VISITAVA FREQUENTEMENTE E ATE ANDAVA A CAVALO POR ESSA ERDADE E SE ENCONTRA AGORA NOS USA ME FALOU DESSA IMPONENTE MARAVILHA SERIA POSSIVEL TER MAIS INFORMACAO COMO FOTOS ATRAVES DA NET?OBRIGADO PELA ATENCAO.

6:53 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

Conheço pessoalmente Belinho, nada comparado com a foto! - Conheço a nobre família Correia de Oliveira, na sua paz,no saber estar como homens e mulheres de fé. Na casa de Belinho respira-se tranquilidade, paz e alegria interior, o tempo passa sem se dar por isso. Que a família Correia d' Oliveira, a mantenha viva e tranquila na vivência da fraternidade amiga. a) José Carlos Gonçalves Martins

5:51 da tarde  
Blogger MJB said...

Não sabia que havia duas casas de Belinho. Em miúda fui várias vezes à Casa de Belinho com o meu Avô, Dr. João de Barros, médico, que viveu em Esposende, no Largo do Pelourinho e era muito amigo da família Corrêa d'Oliveira. Mais tarde, no fim da minha licenciatura, fui fazer escavações, com autorizaçâo da Senhora Dona Maria Cândida, no Monte da Cividade. Estas foram interrompidas, devido ao facto da Senhora Dona Maria Cândida, já bastante idosa, me ter dado autorização indevidamente.
No fim da década de noventa voltei à Casa de Belinho com o Forum Esposendense.
Estou neste momento a ler o livro AMEN, de Rui Corrêa d'Oliveira o que me levou a ir à Internet ver quem era o autor e chegar à Casa de Belinho, de boa memória...
Obrigada pois. Maria José Pereira de Barros

11:52 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home